As dificuldades de um julgamento

Os debates entre defesa e acusação no julgamento do estudante Gil Rugai, de 29 anos, que acabou de ser condenado a 33 anos de prisão, deixar...

1361240792gil_rugai370x211Os debates entre defesa e acusação no julgamento do estudante Gil Rugai, de 29 anos, que acabou de ser condenado a 33 anos de prisão, deixaram evidentes como funciona a dinâmica de um processo na Justiça. Muitas vezes, mais do que as provas periciais, é o poder do convencimento do advogado que sensibiliza os membros do Júri popular de que o réu é ou não culpado. Pra isso, eles recorrem frequentemente à lógica, para determinar a validade de suas teses.

Mas para mostrar que a busca pela verdade em um julgamento pode ser muito mais complicada do que apenas achar os “furos” da lógica rival, eu resolvi reeditar uma parábola contada por Martin Cohen em seu livro 101 problemas de Filosofia, que nos ajuda a entender como um julgamento pode ser difícil, e muitas vezes, injusto.

O problema de Protágoras

Euathlos começou a estudar para ser advogado. Seu professor, Protágoras, combinou, muito generosamente, que o aluno só pagaria as aulas depois de seu primeiro processo, se o ganhasse.

Depois de gastar muitas horas instruindo o aluno, Protágoras ficou bem hippieaborrecido quando Euathlos, seu aluno, resolveu tornar-se um músico sem nunca chegar a assumir um processo no tribunal. Foi então que Protágoras exigiu que Euathlos lhe pagasse as aulas, e quando o músico se recusou, o professor resolveu processá-lo, pois raciocinou que, se Euathlos perdesse a causa, ele, Protágoras, teria vencido, e receberia seu dinheiro. E além disso, se Protágoras perdesse, Euathlos teria ganho sua primeira causa e, apesar de suas declarações de agora ser um músico, teria que pagar igualmente.
Euathlos, porém, raciocinou diferente. "Se eu perder", pensou ele, "terei perdido o meu primeiro processo no tribunal e nesse caso, o acordo inicial me livra de ter de pagar o curso. Se eu ganhar, Protágoras terá perdido o direito de me obrigar a honrar o contrato. Aí também não precisarei pagar coisa alguma".
Não é possível que todos os dois tenham razão. Mas quem está errado?

Esse é o tipo de problema que os gregos antigos adoravam discutir na sua época. Não há aí nenhuma pegadinha ou truque, apenas um genuíno problema de lógica. Não existe uma resposta “certa” para esta questão, mas um juiz teria que dar uma sentença para o caso. Você arriscaria opinar?  

______________________

COHEN, Martin. 101 problemas de filosofia. São Paulo: Loyola, 2006. p. 24.

COMMENTS


Nome

ateísmo e religião ciência Filosofia história Sem Categoria Ufo arqueologia e Mistérios
false
ltr
item
Rama na Vimana: As dificuldades de um julgamento
As dificuldades de um julgamento
http://lh6.ggpht.com/-gympP7ydahQ/USgfZvir_sI/AAAAAAAAD5Y/gVQZA74VkEc/1361240792gil_rugai370x211_thumb%25255B1%25255D.jpg?imgmax=800
http://lh6.ggpht.com/-gympP7ydahQ/USgfZvir_sI/AAAAAAAAD5Y/gVQZA74VkEc/s72-c/1361240792gil_rugai370x211_thumb%25255B1%25255D.jpg?imgmax=800
Rama na Vimana
http://ramanavimana.blogspot.com/2013/02/as-dificuldades-de-um-julgamento.html
http://ramanavimana.blogspot.com/
http://ramanavimana.blogspot.com/
http://ramanavimana.blogspot.com/2013/02/as-dificuldades-de-um-julgamento.html
true
2052759484535425255
UTF-8
Nenhuma postagem encontrada VER TODAS Continue Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PARTE POSTS Ver todas VEJA TAMBÉM CATEGORIAS ARQUIVO BUSCA TODAS AS POSTAGENS Sua busca não gerou nenhuma postagem Voltar para o início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sabado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy