Ilhas Malvinas, 30 anos depois da guerra, ainda sem solução

Desde o século XVII que as ilhas descobertas a 500 Km da costa atlântica da América do Sul — e a 14...

Argentina x Inglaterra Desde o século XVII que as ilhas descobertas a 500 Km da costa atlântica da América do Sul — e a 14 mil Km do Reino Unido — causam controvérsias entre espanhóis e ingleses, e depois entre estes e os argentinos. Há quase 180 anos — desde janeiro de 1833 —, depois de algumas pequenas disputas sobre o território, a Inglaterra envia uma fragata e anuncia a ocupação destas ilhas pelo Império Britânico, chamadas de Malvinas por argentinos e Falkland por ingleses.

 

Malvinas ou Falkland?

 


Visualizar Ilhas Malvinas em um mapa maior

 

Quando os militares brasileiros tomaram o poder à força em 1964, foi possível conhecer a posição ideológica de quem se pronunciava sobre o assunto, pela forma que classificava o ato. Revolução ou Golpe? A disputa sobre quem tem razão no caso das ilhas sul-americanas gera uma situação semelhante: é possível saber a visão sobre a questão das ilhas somente observando como as pessoas as nomeiam. Aqui eu chamo as ilhas de Malvinas, e não Falkland, e isso já mostra como eu me posiciono a respeito do tema.

 

Contexto

malvinas A Argentina da primeira metade do século XIX era então um jovem país que lutava para ter sua Independência reconhecida no mundo, sem condições de enfrentar a poderosa marinha britânica. Mas no século XX o cenário geopolítico tinha mudado o bastante para a Argentina reforçar sua campanha para a retomada da soberania das ilhas. Entre abril e junho de 1982, a Argentina achou que era hora de combater o invasor, e desencadeou a Guerra das Malvinas, que completa agora 30 anos, sem uma solução definitiva ainda. A Argentina perdeu a guerra, a Junta Militar que governava o país caiu, e o governo conservador de Margareth Thatcher conseguiu mais um mandato nas eleições inglesas de 1983, saindo fortalecido do conflito.

 

O problema das ilhas Malvinas hoje

mal Como resposta a uma maior militarização inglesa na ilha — em 2009 eles também passaram a explorar petróleo na região — os países do Mercosul com costas marítimas decidiram não aceitar que embarcações com bandeiras de Falkland entrem em seus portos. Além disso, diversas resoluções da ONU e da Unasul condenam a Inglaterra por sua insistência em não negociar diplomaticamente com a Argentina uma solução para o caso, preferindo a violação sistemática de águas argentinas.

Por outro lado a União Europeia endossa a posição inglesa, apoiando o resquício colonialista em plena era de globalização.

Uma tática inglesa muito comum acontece nas ilhas. Desde que chegou, a Inglaterra procurou povoar a região com “súditos leais da rainha Elizabeth II”. A partir disso, qualquer tentativa argentina de reivindicar a soberania da região, é tida como uma ameaça ao povo inglês, e justifica assim uma resposta militar.

Por falar em resposta militar, eu lembro da postura de um importante país americano nesse conflito: os Estados Unidos. A história é curiosa e merece ser lembrada.

 

Estados Unidos deixam Argentina na mão

Em 1947 quase todos os países das Américas, incluindo a Argentina e os Estados Unidos, assinaram o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) cuja finalidade era defender um membro caso fosse atacado por um país de fora. Uma agressão seria considerada um ataque contra todos. Em 1982 a Argentina invocou o Tratado, pedindo apoio norte-americano contra o que considerava uma agressão do invasor inglês. Em resposta, os Estados Unidos resolveram apoiar... a Inglaterra!

Isso não deveria causar surpresa, a não ser nos mais incautos. Os EUA, além de laços históricos e culturais com os ingleses, também eram signatários da OTAN, e o único interesse político que tinham na América Latina era conter o comunismo.

 

Como resolver o problema

Ainda há uma saída para a questão das ilhas. Em 1968 o então primeiro-ministro trabalhista inglês Harold Wilson assinou um documento, que não entrou em vigor imediatamente porque em 1970 foi eleito o conservador Edward Heath, que o engavetou. De acordo com este documento, no seu artigo 4, está definido:

O governo de sua Majestade Britânica reconhecerá a soberania argentina sobre as ilhas a partir da data a ser combinada. Essa data será fixada tão logo o governo de sua Majestade Britânica esteja satisfeito com as garantias e salvaguardas oferecidas pelos governos argentinos para defender os interesses dos seus habitantes.

Como se vê, basta à Inglaterra pôr de novo este acordo em pauta, para demonstrar boa vontade e cumprir as determinações internacionais. Seria uma saída digna para Sua Majestade e o fim de um abuso que só seria justificado em épocas de colonialismo.

COMMENTS


Nome

ateísmo e religião ciência Filosofia história Sem Categoria Ufo arqueologia e Mistérios
false
ltr
item
Rama na Vimana: Ilhas Malvinas, 30 anos depois da guerra, ainda sem solução
Ilhas Malvinas, 30 anos depois da guerra, ainda sem solução
http://lh5.ggpht.com/-ROIDsUHB104/T4iANlzuscI/AAAAAAAAB9k/2o9bwRpYw3o/Argentina%252520x%252520Inglaterra_thumb%25255B6%25255D.jpg?imgmax=800
http://lh5.ggpht.com/-ROIDsUHB104/T4iANlzuscI/AAAAAAAAB9k/2o9bwRpYw3o/s72-c/Argentina%252520x%252520Inglaterra_thumb%25255B6%25255D.jpg?imgmax=800
Rama na Vimana
http://ramanavimana.blogspot.com/2012/04/guerra-das-malvinas-30-anos-depois.html
http://ramanavimana.blogspot.com/
http://ramanavimana.blogspot.com/
http://ramanavimana.blogspot.com/2012/04/guerra-das-malvinas-30-anos-depois.html
true
2052759484535425255
UTF-8
Nenhuma postagem encontrada VER TODAS Continue Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PARTE POSTS Ver todas VEJA TAMBÉM CATEGORIAS ARQUIVO BUSCA TODAS AS POSTAGENS Sua busca não gerou nenhuma postagem Voltar para o início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sabado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy